CARICATURAS AO VIVO - ZEL HUMOR . O MELHOR DA CARICATURA EM SUA FESTA ...

CARICATURAS AO VIVO - ZEL HUMOR . O MELHOR DA CARICATURA EM SUA FESTA ...
CLIQUE NA IMAGEM É SAIBA MAIS ...

sexta-feira, 30 de abril de 2010

MORRO SEM GUIA

1 - Casa do Wolnei destruída e abandonada pelo poder público.



2 – Funcionários da prefeitura com os salários faltado dinheiro.


3 - Uma senhora fazendo baldeação em um coletivo (integração?)

OBS. :Não foi possível enumerar mais itens, pois não dava para fazer todo mapa de Cabo frio em uma só charge

domingo, 25 de abril de 2010

ZEL é O HUMOR do MAU HUMOR

Apesar da minha coluna fazendo curva feito um montanha russa ; um computador que me da mais dor de cabeça que o FIAT 147 e ser sub- remunerado; eu continuo tentado atualizar esta blog e ainda fazer alguns trabalhos para alguns e raros amigos. Sabendo que ser cartunista e tarefa de doido. Cartunista já não é muito normal agora ser o único dá cidade onde mora , pelo menos que tenta fazer desta doideira um trabalho (eu até gostaria de compartilhar o espaço com outro doido).


Em tempo: Estou tentado arrumar tempo para terminar alguns projetos inacabados e também fazer diversas caricaturas que prometi a muitos amigos e conhecidos. Pois é. Parece que eu estou ficando igual aos políticos que de forma pictórica critico em meu blog, prometendo e não cumprindo. Vou tentar remediar esta minha falha.


FRASES :


Freud



O humor tem não só algo de liberador, análogo nisso ao espirituoso e ao cômico, mas também algo de sublime e elevado.

 
Carlyle



O espírito ri das coisas. O humor ri com elas.

 
Mark Twain



A fonte secreta do humor não é a alegria, mas a mágoa, a aflição, o sofrimento. Não há humor no céu.


Millôr Fernandes



O humor compreende também o mau humor. O mau humor é que não compreende nada.

 
 
Monteiro Lobato



Humor é a maneira imprevisível, certa e filosófica de ver as coisas.



FONTE: Blog do Totonho

CHARGE - FEDOR ELEITORAL

sexta-feira, 23 de abril de 2010

MESTRE DO HUMOR - CARTUNISTA LAN

Italiano de nascença e carioca de coração, ele costuma retratar mulatas e o Rio de Janeiro em seus trabalhos. Lan fez a caricatura Carlos Lacerda que lhe rendeu o apelido de 'Corvo'.


LAN ( LANFRANCO VASELLI ) - Italiano criado em Montevideo, onde estudou arquitetura e iniciou sua carreira jornalística nas páginas do matutino "EL PAIS". Contratado pela imprensa argentina em 1948, lá ficou até 1952 trabalhando nos órgãos de comunicação mais importantes de Buenos Aires, sendo distinguido nesse mesmo ano com o primeiro prêmio outorgado ao melhor caricaturista da capital portenha. Também em 1952, de passagem pelo Rio de Janeiro, foi convidado por Samuel Weiman a inaugurar "Última Hora" paulista. Seis meses depois, já em 1953 veio em definitivo para o Rio onde trabalhou na edição carioca da U.H., FLAN, O GLOBO, MANCHETE ESPORTIVA, CORREIO DA MANHÃ e outras publicação de igual prestígio. Desde 1963 é chargista exclusivo do JORNAL DO BRASIL. Conta no seu haver, ter sido considerado em 1958, na inglaterra, um dos cinco maiores no campo da caricatura internacional, e ter ganho em 1965, o primeiro prêmio de caricatura em Foligno (Itália), outorgado por um júri integrado pelos maiores nomes do humorismo italiano e presidido na ocasião, por Giovanni Guareschi, o famoso autor de "DOM CAMILO’. Considerando sua atividade como caricaturista essencialmente virada para imprensa, poucas são as exposições realizadas no transcurso de toda sua carreira. A destacar a primeira em Punta del Este (1948), que lhe valeu p primeiro contrato para Buenos Aires, e a que realizou no Festival "Dei Due Mondi", em Spoleto ( Itália ) no ano de 1965, assistida e aplaudida por figuras como luchino Visconti, Pier Paolo Pasolini, Rafael Alberdi, Ezra Pound John Kranco, Nureiev, e o próprio Gian Carlo Menotti, diretor do Festival. No Rio, Poucas foram as vezes que apresentou seus trabalhos, a não ser em retrospectivas de sua atividade jornalística. Radicado desde 1974 em Pedro do Rio, no município de petrópolis , e afastado do burburinho da grande cidade, iniciou na tranquilidade de seu sítio uma série de trabalhos que ele considera uma continuação dessa sua atividade jornalística. Em 1979 lançou seu primeiro livro "É HOJE !", com textos de seu cunhado Haroldo Costa, onde expressa graficamente a impressão subjetiva que as Escolas de Samba deixaram no seu espírito. Outros virão, e todos eles dedicados a um tema que ele conhece como ninguém, Rio e sua gente. Para isso, ele apresenta credenciais como a de ter sido distinguido pela Câmara Municipal e pelo jornal "O GLOBO" - Cidadão carioca honorário duas vezes!



Os primeiros trabalhos de Lan, aparecidos na "Última Hora", firmaram definitivamente o seu prestígio em nosso meio artístico. Dum traço que tem um sinete marcadamente platino, leve, nervoso, serpenteante, encontrável realmente nos maiores artistas do lápis na imprensa da Argentina e Uruguay, Lan é hoje inimitável nas suas caricaturas pessoais, fixando ao mesmo tempo, com uma destreza e uma instantaneidade de síntese de que somente Caribé, nos seus admiráveis desenhos da Bahia, consegue aproximar-se..."

FONTE: arte.com/lan/corriculum.htm

CRIANÇÃO DO CENTRO DE REFERÊNCIA DO HUMOR GRÁFICO.

RESOLUÇÃO SMC Nº 142, DE 23 MARÇO DE 2010

Cria o Centro Carioca de Referência do Humor Gráfico a funcionar no Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho – Castelinho do Flamengo.

A SECRETÁRIA MUNICIPAL DE CULTURA, no uso das atribuições que lhes são conferidas pela legislação em vigor e, CONSIDERANDO a importância da formação de um olhar do cidadão sobre a produção das várias manifestações artísticas na área do Humor Gráfico da Cidade do Rio de Janeiro;

CONSIDERANDO a importância da formulação de política que atribua a verdadeira dimensão a produção de Humor Gráfico no âmbito da Cidade do Rio de Janeiro;

RESOLVE:

Art. 1º. Fica criado no âmbito da Secretaria Municipal de Cultura, vinculado ao Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho, o Centro de Referência do Humor Gráfico Carioca.

Art. 2º. Fica criado o Comitê Consultivo de Diretrizes de Gestão do Centro Carioca de Referência do Humor Gráfico.

§ 1º O Comitê previsto no capítulot será composto por doze membros terá a seguinte composição:

Representantes do Poder Público:

- Gerente de Artes Visuais - Ana Lucia Maia Durães, que o presidirá

Sociedade Civil com notória especialização na área de Humor Gráfico:

Claudius Ceccon (cartunista Claudius)

Eliane Gomes de Oliveira

Francisco Paulo Hespanha Caruso (cartunista Chico)

Henrique Woitschach (cartunista Ique)

Ivan Consenza de Souza (filho do cartunista Henfil)

Lan Franchesco (cartunista Lan)

Maria Arlete Gonçalves

Rafael Cardoso

Renato Aroeira (cartunista Aroeira)

Ziraldo Alves Pinto (cartunista Ziraldo)

§ 2º Os membros integrantes do Comitê previsto no capítulo não receberão qualquer gratificação para seu exercício, sendo considerado trabalho de grande relevância pública.

Art 3º . Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

FONTE : zerobertograuna.blogspot.com

Enquanto isso na U.P.A ( Úlcera de Pobre Aumenta).....

BOM FERIADO!!!!!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

O DESCOBRIMENTO DO BRASIL NA ATUALIDADE

MESTRE DO HUMOR - CARTUNISTA do Jornal O DIA - AROERA

Para Aroeira, qualquer tipo de poder merece crítica: do público (governo) ao pessoal ("quem comete abusos, como certos jogadores de futebol"). "Meu estilo é de ataque. Não me guio pelo politicamente correto, que é um meio de matar o humor", dispara. O cartunista diz ter engajamento ético, e não limites éticos: "Nas minhas charges, só não há pornografia."

 Os personagens da vida pública brasileira e mundial são alvo para suas charges. Mas que é Renato Luiz Campos Aroera?

"Sou um cartunista amador", se auto-define Aroeira. "Amador no sentido de amar o que faz, de estar aberto a novas possibilidades, aprender cada vez mais".
Quando uma charge me agrada, agrada aos meus leitores. Mas se
um chargista agrada todo mundo, algo está errado", alerta Aroeira.

Ele classifica os leitores em três tipos: os que mandam desenhos ("Gosto disso, considero um elogio a confiança que eles depositam em mim para avaliá-los"), os que xingam ("Principalmente quando são charges esportivas") e os que dão idéias. Sugestões, aliás, é o

que Aroeira mais recebe: do leitor comum aos amigos cartunistas. "Acontece, às vezes, de um tipo de piada ser mais indicado ao traço de determinada pessoa,diz.

. Ah, então uma boa charge deve ter forma e conteúdo? Aroeira afirma que o melhor é conciliar os dois: "O conteúdo é a idéia central. É em torno dele que se desenvolve a charge". Se a função da charge é satirizar ou refletir, ele responde de primeira: "O bom é quando causa a reflexão. Mas depende, tem dias que é só para chutar o balde, tipo o Bin Laden cheirando a carta". Para os cartunistas de plantão, as dicas de uma boa charge: tem que tratar de um assunto importante ("algo que você considera que vai mover o leitor"), deve ser compreendida por todos ("o leitor dialoga com o desenho"), além de ser engraçada.


Por Alexandre Ventura ( REPORTAGEM  COMPLETA EM : http://odia.terra.com.br/especial/rio/aroeira/entrevista.htm )

terça-feira, 20 de abril de 2010

II CALÇADA CULTURAL

                                       CARICATURA DO MAESTRO ANGELO BUDEGA

O EVENTO CONTARA COM OS INTEGRANTES DO PROJETO APANHEI-TE CAVAQUINHO E DA PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DE MARCELA BEATRIZ (VIOLÃO E VOZ) , IVAN MORINI(PIANO), PROF. ALBERTO TC ( GUITARRA).

segunda-feira, 19 de abril de 2010

COMENTÁRIO- SOBRE S.O.S - UPA - RIO E CABO FRIO


Anônimo JWalker disse...
A esdrúxula realidade de um ato eleitoreiro, precipitado, ao inaugurar uma unidade de saúde sem profissionais em número suficiente para colocá-la em atividade. Resultando em uma sobrecarga de trabalho para todos os profissionais envolvidos, na qual absurdamente pretende-se que médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem tenham uma carga horária de 24 horas ininterruptas, independente da qualidade do serviço resultante deste fato, em desrespeito a saúde pública. Enfermeiros e técnicos são obrigados a ter 48 horas semanais de trabalho, divididas em dois plantões, com 24 horas de intervalo entre elas.
Anônimo UPAAAAAAAAAAA disse...
A côr da nova unidade de saúde de Cabo Frio, está deixando nervosos os narizes governamentais deste Município... Legal, tem bastante branco ... purinhu ... o=====o SHIFFFFFFFFFFFFFFFF

domingo, 18 de abril de 2010

S.O.S - UPA - RIO E CABO FRIO para O AMIGO J . WALKER


  PROFISSIONAIS
Os profissionais trabalhão animados e com disposição todos lúcidos e descansados depois de uma bela noite de sono....

 As acomodações são amplas e confortáveis onde médicos e enfermagem se entregam em uma convivência totalmente harmônica ....  
TEMOS TAMBÉM A
     UPACROMIA.... ONDE NÃO HÁ PRECONCEITO NO ATENDIMENTO......
     
             

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Linda Mensagem!

  Colaboração do primo BONARFIO,que envio o poema e fiz questão de fazer uma homenagem que segue :

Linda Mensagem!



PARA HOMENAGEAR A AMIZADADE DO GOVERNADOR SERGIO CABRAL AO PREFEITO MARCOS DA R.MENDES.
"QUEM LER VAI ENTEDER A AMIZADE DOS DOIS"
COISA LÁ DAS ARÁBIAS.

Prá Começar o dia.


Mensagem Linda!


POEMA ARABE - LINDO


(Autor desconhecido)










سب الدستور المعدل عام أصبحت إسبانيا دولة قانون إجتماعية و ديمقراطية


تح نظام ملكي برلماني. الملك منصبه فخري و رن و واحدئيس الوزراء ه


الحاكم الفعلي للبلاد. البرلمان الإسباني مقسم الى مجلسين واحد للأعيا


عدد أعضاء يبل عين و واحد للنواب و عدد نتائج الانتخابات نائب. نتائج






الانتخابات الأخير مباشرة من أصبحت الشعبسنوات, بينما كل سنوات, بينما


يعين عنتخاباتضو من مجلس ا الشعب أيضا. رئيس الوزراء و الوزراءيتم ماعية






و تعيينهمللأعيان








Quase chorei nenhum trecho que diz: قبل البرلمان اعتمادا على نتائج

domingo, 11 de abril de 2010

Curso de desenhos de humor em Búzios

As aulas gratuitas na fundação Bem ti vi




O cartunista Michelangelo realizou a aula inaugural do curso de desenho de humor oferecido gratuitamente na Fundação Bem Te Vi, na Rasa
Curso de Desenhos de Humor do cartunista Michelângelo na Fundação Bem Te Vi, na Rasa. O cartunista Michelângelo discursou para os presentes, frisando a importância de iniciativas que independam do poder público, mas que contem com a parceria dos empresários locais, no sentido de dar às crianças buzianas um rumo alternativo visando à valorização da cidadania por meio das artes.

Os presentes foram convidados a conhecer e se acomodar à sala de aulas, aonde partilharam alguns trabalhos realizados especialmente para o Jornal Primeira Hora por Michelângelo e receberam orientação quanto à profissão de chargista e sobre o teor do curso em si.

Após uma pequena apresentação do histórico profissional do cartunista, que é também imortal da ALAB, feita pelo Presidente da Academia de Letras e Artes Buziana, José Gonzaga, a cerimônia foi encerrada com a despedida dos empresários presentes e o início oficial da aula. O Curso de Desenhos de Humor é completamente gratuito, sendo uma iniciativa do chargista com o apoio social de empresas.

Outras informações podem ser obtidas nos dias de aulas, terças e quintas-feiras, das 8h00 às 9h00 e das 17h00 às 18h00, sede na Fundação Bem Te Vi, Rasa, ou pelo telefone (22)2623 8786.


Fonte : www.jornalprimeirahora.com.br

Estratégias e técnicas para a manipulação da opinião pública e da sociedade (continuação) Por Sylvain Timsit


4. A estratégia do diferimento


Outro modo de fazer aceitar uma decisão impopular é apresentá-la como "dolorosa mas necessária", obtendo o acordo do público no presente para uma aplicação no futuro. É sempre mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro porque a dor não será sofrida de repente. A seguir, porque o público tem sempre a tendência de esperar ingenuamente que "tudo irá melhor amanhã" e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Finalmente, porque isto dá tempo ao público para se habituar à ideia da mudança e aceitá-la com resignação quando chegar o momento.



Exemplo recente: a passagem ao Euro e a perda da soberania monetária e económica foram aceites pelos países europeus em 1994-95 para uma aplicação em 2001. Outro exemplo: os acordos multilaterais do FTAA (Free Trade Agreement of the Americas) que os EUA impuseram em 2001 aos países do continente americano ainda reticentes, concedendo uma aplicação diferida para 2005.

5. Dirigir-se ao público como se fossem crianças pequenas

A maior parte das publicidades destinadas ao grande público utilizam um discurso, argumentos, personagens e um tom particularmente infantilizadores, muitas vezes próximos do debilitante, como se o espectador fosse uma criança pequena ou um débil mental. Exemplo típico: a campanha da TV francesa pela passagem ao Euro ("os dias euro"). Quanto mais se procura enganar o espectador, mais se adopta um tom infantilizante. Por quê?



"Se se dirige a uma pessoa como ela tivesse 12 anos de idade, então, devido à sugestibilidade, ela terá, com uma certa probabilidade, uma resposta ou uma reacção tão destituída de sentido crítico como aquela de uma pessoa de 12 anos". (cf. "Armas silenciosas para guerras tranquilas" )

6. Apelar antes ao emocional do que à reflexão

Apelar ao emocional é uma técnica clássica para curto-circuitar a análise racional e, portanto, o sentido crítico dos indivíduos. Além disso, a utilização do registo emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para ali implantar ideias, desejos, medos, pulsões ou comportamentos...

7. Manter o público na ignorância e no disparate

Actuar de modo a que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para o seu controle e a sua escravidão.



"A qualidade da educação dada às classes inferiores deve ser da espécie mais pobre, de tal modo que o fosso da ignorância que isola as classes inferiores das classes superiores seja e permaneça incompreensível pelas classes inferiores". (cf. "Armas silenciosas para guerras tranquilas" )