CARICATURAS AO VIVO - ZEL HUMOR . O MELHOR DA CARICATURA EM SUA FESTA ...

CARICATURAS AO VIVO - ZEL HUMOR . O MELHOR DA CARICATURA EM SUA FESTA ...
CLIQUE NA IMAGEM É SAIBA MAIS ...

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Talento de caricaturista em tempo real - JORNAL O DIÁRIO - CAMPOS



Talento de caricaturista em tempo real





Patrícia Bueno
Pessoas curiosas se reúnem em torno de uma pequena mesa, instalada na III Feira Regional de Artesanato, que terminou ontem à noite no estacionamento do Shopping Boulevard. O motivo de tanta curiosidade é um simpático senhor de chapéu, cercado de lápis por todos os lados. Ele é  José Luiz de Souza e Silva, caricaturista que costuma mostrar seu talento ao vivo, desenhando as pessoas em tempo real.
Enquanto rascunha mais um rosto a pedido de um visitante da feira,  José Luiz, que adotou o nome artístico de Zel Humor, tem que se desdobrar para responder a uma sequência de perguntas. “As pessoas ficam bem curiosas
mesmo ”, destaca o artista que é de Cabo Frio e desenha desde criança.
O chargista e caricaturista conta que desenvolve esse tipo de trabalho desde 1994. “Em eventos assim, são mais ou menos sete anos. A primeira feira da qual participei foi aqui, em Campos”, comenta o desenhista, cujos trabalhos já atravessaram as fronteiras do país e foram parar em países como a Romênia.
Rostos de famosos e anônimos já foram eternizados pelo lápis veloz de Zel.
Uma vez, ele encontrou com o ator Pedro Bismarck em uma loja de eletrodomésticos em Cabo Frio e tratou de retratá-lo.  O encontro casual com o hilário Nierson da Capitinga, personagem mais famoso de Bismarck, está em uma das fotos que ilustram o banner, na parede.
Fã confesso de Ziraldo e Chico Caruso, o artista também desenha a partir de fotos, sob encomenda, colabora com um jornal em Cabo Frio e ainda mantém um blog (zelhumortotal.blogspot.com),  onde divulga sua arte para o mundo.
Dedicação - Durante a realização da feira de artesanato, Zel  precisou se desdobrar para atender a tantos pedidos. Só o amor à arte justifica tantas horas praticamente na mesma posição e fazendo movimentos repetitivos. Mas, ao final, as dores na coluna são tratadas com um remédio especial: a satisfação de seus modelos. “Desenhar assim, ao vivo, é mais complicado. Captar as expressões, o olhar…   Mas não tem nada mais gratificante do que você ver o prazer nos olhos das pessoas. Nada substitui esse contato”, comenta.
A conversa com o simpático desenhista de Cabo Frio prosseguiu entre rabiscos e olhares fixos nos detalhes do meu rosto. Em questão de minutos, lá estava minha figura no papel branco. “Pode levar. É meu presente para você”, ofertou o artista. Com o término da feira de artesanato,  Zel volta à sua cidade, mas não sem deixar por aqui os rastros de sua arte dinâmica e criativa. Um dom que o artista, autodidata, expressa em suas bem traçadas linhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário